Cinco jogadores que ganharam dos casinos

De vez em quando, há quem tente ganhar dos casinos e o consiga, mesmo que seja apenas durante algum tempo. Existem inúmeras histórias por aí sobre aqueles que superaram o sistema e arrecadaram toneladas de dinheiro. Descobrimos cinco jogadores que utilizaram diferentes técnicas para ficarem com as fortunas dos casinos.

Enorme competência

Nome: Dominic LoRiggio
Casinos derrotados: praticamente todos os principais casinos dos EUA e da Europa
Método: lançamento controlado

Chamavam-lhe "O Homem com o Braço de Ouro" ou "O Dominador". Dominic LoRiggio é o mestre de uma técnica de jogo que muitos dizem que é impossível: o lançamento controlado na mesa de craps. Ele investiu anos de prática e milhares de horas para conseguir os lançamentos que precisava para ganhar. Quando questionado, LoRiggio disse que o truque está em colocar os dados na mão numa determinada posição, agarrá-los bem e depois lançá-los no pano o mais suavemente possível.

O Dominador juntou-se a outros lançadores controlados e iniciou a sua carreira como profissional de craps em Las Vegas. A Equipa "Rosebud" percorreu os casinos durante vários anos e depois LoRiggio saiu pois achava que podia ganhar mais atuando sozinho. Encontrou um novo parceiro no lendário jogador e escritor Frank Scoblete e os dois dizem que ganharam centenas de milhares de dólares utilizando a técnica de lançamento controlado do Dominador. Apesar de muitos especialistas acharem que é impossível controlar os dados, LoRiggio provou o contrário em várias ocasiões, mas os pormenores de como ele controla os dados são os seus segredos pessoais.

 

Destreza de mãos 

Nome: Ida Summers
Casinos derrotados: os casinos clássicos de Las Vegas
Método: truque de mãos, introdução de baralhos frios

Ida Summers tinha tudo o que uma verdadeira femme fatale precisa para ser bem sucedida: uma beleza estonteante e mãos extremamente rápidas. No anos de 1960-70, numa altura em que ninguém se atreveria a acusar uma mulher de fazer batota (especialmente porque ninguém acreditava que uma mulher teria a capacidade ou a coragem para o fazer), Summers tornou-se um dos artistas de destreza de mãos mais bem sucedidos nas mesas de blackjack em Las Vegas. A pequena e atraente mulher (Ida Summers media 1,60 m e pesava cerca de 45 kg) era perita em técnicas de truque de mãos e até começou a introduzir baralhos frios e arrefecedores, o que quer dizer que ela colocava baralhos pré-marcados na mesa e depois limitava-se a jogar. Não se esqueça que isto aconteceu nos anos 60 e 70, quando praticamente todos os casinos tinham fortes ligações à máfia. Era mais provável que os batoteiros aparecem mortos no deserto do que simplesmente expulsos do casino. Ida Summers teve sorte. A máfia não a apanhou. Mas nos finais da década de 1970, foi capturada pelo FBI. Não se sabe quanto dinheiro Summers ganhou a fazer batota, mas ela ainda é considerada uma das fraudes mais bem sucedidas na história do casino.

 

Sorte misteriosa... Ou estratégia: Charlie Wells

Nome: Charlie Wells
Casinos derrotados: Casino de Monte Carlo
Método: desconhecido

A costa do Mediterrâneo sempre foi a casa e inspiração dos grandes empreendimentos de casino. Já em 1891, e nos anos seguintes, grandes feitos eram possíveis nos casinos de França e do Mónaco, pelo menos para uma pessoa. Charlie Wells, um conhecido aventureiro, viajou até Monte Carlo com £4.000 no bolso, dinheiro que arrecadou de investidores ingénuos. Wells entrou no casino, sentou-se na famosa mesa de Roleta Europeia no centro do Casino de Monte Carlo e só se levantou onze horas mais tarde. Por essa altura, tinha quebrado a banca doze vezes e ganhou mais de um milhão de francos, 15 milhões de dólares atualmente! Wells jogou e ganhou sem parar. As histórias variam mas a uma determinada altura tinha ganho 20 e 25 de 30 jogos consecutivos.

Todos estavam convencidos de que Wells estava a fazer batota mas nem os investigadores privados contratados pelos casinos quando ele regressou e repetiu este feito conseguiram descobrir qualquer prova de fraude ou batota. O próprio Charlie Wells disse ao mundo que tinha sido apenas incríveis marés de sorte, mas muitos especialistas acreditam que ele jogou com um sistema, muito provavelmente um Maringale modificado ou uma variante do sistema D'Alembert. De qualquer forma, mesmo com estes sistemas, uma sorte desta é simplesmente incrível.

 

Contagem de cartas

Nome: Edward Thorp
Casinos derrotados: casinos em todo o mundo
Método: lançamento controlado

Não precisamos de explicar quem é Edward Thorp, o pai da contagem de cartas, pois não? Ele foi o professor de matemática que inventou a contagem de cartas e lucrou muito com isto. Na década de 1960, começou a jogar blackjack graças a um amigo e ficou interessado nos sistemas matemáticos por trás do jogo. Fez simulações no computador de milhões de mãos de blackjack e no final criou o sistema da contagem de cartas. Mas isto não era o suficiente, ele queria lucrar com o que tinha feito. Por isso, juntou a famosa Equipa do MIT que ganhou provavelmente milhões nos anos seguintes. Numa noite boa, Thorp conseguia ganhar sozinho facilmente 70.000 dólares.

Os casinos ficaram desorientados, alguns simplesmente imploram-lhe para sair, porque ele estava a ganhar demasiado e não sabiam porquê. Thorp escreveu o livro sobre contagem de cartas, chamado "Vencer o Croupier", e tornou-se um bem sucedido gestor de segurança e fundos de cobertura após a sua carreira de jogo. Ele foi um dos primeiros sete jogadores a entrarem no Mural da fama do Blackjack.

 

Falsificação

Nome: Louis “The Coin” Colavecchio
Casinos derrotados: inúmeros casinos nos EUA
Método: falsificação de fichas de slot machines

No final da década de 1990, Louis Colavecchio, também conhecido como "A Moeda" roubou entre 100.000 e 500.00 dólares a vários casinos dos EUA. Não era um verdadeiro jogador, Colavecchio era um mestre da falsificação. Falsificou as fichas utilizadas nas slot machines, e pensou em grande. Recolheu os metais necessários (cobre, níquel, zinco, etc.), comprou cortadores a laser e até importou uma impressora de 150 toneladas de Itália, Europa. Quando "A Moeda" foi preso, a polícia teve de arrendar duas unidades de armazém para guardar todas as provas e o saque de Colavecchio. As suas moedas falsificadas eram tão perfeitas que muitos peritos em casino insistiam que eram verdadeiras. Como muitos casinos não quiseram dar continuidade à questão da falsificação perfeita, não se sabe se Colavecchio ganhou muito mais dinheiro do que o valor indicado no processo. Ele até conseguiu fazer um acordo, em troca de explicar as suas operações às autoridades, conseguiu uma pena muito leve. Lamentamos dizer mas, às vezes, o crime compensa mesmo.

O que acha destas histórias? Conhece outro jogador que conseguiu derrotar em grande os casinos? Conte-nos na secção de comentários!

X

Dear Visitors,

Casino Tropez does not accept players from your region.

Please contact our customer service team at support [at] casinotropez [dot] com for more information.

 

Best regards,

Casino Tropez